Início Amadora Técnicos Superiores da ULS Amadora/Sintra com novas ações de luta

Técnicos Superiores da ULS Amadora/Sintra com novas ações de luta

573

Os Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (TSDT) da Unidade Local de Saúde (ULS) Amadora/Sintra estão descontentes com a falta de respostas às suas reivindicações e vão avançar com novas ações de luta.

Esta quinta-feira, 20 de junho, está agendado um plenário com concentração em frente ao Hospital Professor Doutor Fernando da Fonseca, entre as 11h00 e as 14h00. O objetivo da ação é discutir a revisão da tabela salarial do Acordo de Empresa (AE) e a adesão ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

Na próxima semana, os protestos prosseguem com a realização de uma greve de 24 horas, no dia 27 de junho. Esta paralisação poderá causar a suspensão de diversos exames complementares de diagnóstico, como análises clínicas, ecografias e raios X, além de impactar atividades nas áreas da terapêutica, incluindo farmácias hospitalares, fisioterapia, terapia da fala e terapia ocupacional.

Os TSDT protestam contra a falta de respostas concretas às suas reivindicações, destacando a desigualdade no tratamento dos profissionais da ULS Amadora/Sintra em comparação com outras unidades EPE (Entidade Pública Empresarial). As principais queixas incluem a não revisão da tabela salarial em paridade com os restantes EPE e a não aplicação do ACT dos Hospitais EPE, o que impossibilita os TSDT da ULS Amadora/Sintra de optarem pelo ACT.

Os profissionais exigem a revisão da tabela salarial do AE e a adesão ao ACT celebrado entre o Centro Hospitalar Barreiro Montijo, EPE, e o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde nas Áreas de Diagnóstico e Terapêutica, publicado no Boletim de Trabalho e Emprego n.º 23 de 22/06/2018. Esta adesão permitiria que os TSDT com contrato individual de trabalho na ULS Amadora/Sintra pudessem optar pelo ACT, garantindo melhores condições de trabalho e equidade com os colegas de outras unidades.

Com estas ações de protesto, os TSDT da ULS Amadora/Sintra esperam obter respostas concretas e justas às suas reivindicações, promovendo a igualdade de tratamento e a valorização profissional.

Artigo anteriorO Elétrico e o Vinho de Colares na Adega Visconde Salreu
Próximo artigoRui Maximiano: “Há aqui um olhar para o futuro mais sustentável e amigo do ambiente”