Por constituir um verdadeiro atentado à saúde pública, os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra) vão reforçar a fiscalização na Rua Dr. José Alberto Ferraz e na Rua Luís Simões, junto à estação ferroviária de Queluz-Belas, para travar o recorrente abandono de resíduos em plena via pública.

Sem qualquer justificação para além da falta de civismo e da inexistência de preocupações ambientais, o local transforma-se numa autêntica lixeira a céu aberto, acumulando-se os sacos de resíduos nas imediações de um posto de transformação de energia. A mesma situação ocorre, na mesma zona, num túnel de ligação entre a Rua Luís Simões e a Praceta Joaquim Casimiro.

Em articulação com a Câmara Municipal de Sintra e a Junta da União das Freguesia de Queluz-Belas, os SMAS de Sintra procederam, esta quarta-feira e mais uma vez, à recolha dos resíduos, mas vão intensificar a fiscalização, juntamente com as forças de segurança (PSP e Polícia Municipal), no sentido de colocar um ponto final numa situação que prejudica a qualidade de vida de toda a população.

O local em apreço, com reduzidos acessos, não reúne as condições para contar com equipamentos de recolha de resíduos, nem permite a circulação de viaturas pesadas, o que inviabiliza a atuação dos SMAS de Sintra.

No entanto, a escassa distância deste espaço, que não chegam aos 100 metros, na mesma artéria, estão colocados equipamentos de deposição de resíduos, assim como ao cimo da Rua Luís Simões, na Rua Scarlatti.

Após a recolha do lixo, por parte de operacionais dos SMAS de Sintra e da Câmara de Sintra, foi efetuada a lavagem e desinfeção da via pública e, no imediato, vai ser colocada uma placa a alertar para a proibição de deposição ilegal de resíduos.

Recorde-se que esta situação é punível com coimas que variam dos 250 aos 22 mil euros, de acordo com o Regulamento Municipal de Recolha e Transporte de Resíduos Urbanos.

A limpeza do local foi acompanhada pelo diretor delegado dos SMAS de Sintra, Carlos Vieira, e pela presidente da União das Freguesias de Queluz-Belas, Paula Alves, que lamentaram a falta de civismo da população que ali abandona, sem quaisquer preocupações de natureza ambiental, os seus resíduos, deixando-os à mercê, aliás, de animais errantes e colocando a saúde pública em causa.

Também presente esteve o diretor do Departamento de Obras Municipais e Gestão do Espaço Público da Câmara de Sintra, Sérgio Brito.

Não existe qualquer justificação para a falta de civismo de quem abandona ali os seus resíduos” — Carlos Vieira

Paula Alves, presidente da UF de Queluz-Belas; Carlos Vieira, diretor delegado dos SMAS de Sintra e Sérgio Brito, departamento de Obras Municipais e Gestão do Espaço Público

“Este local apresenta acessos muito condicionados, estreitos e com estacionamento indevido, sem que haja a possibilidade de colocação de contentorização e de efetuar a recolha através de viaturas pesadas. No entanto, a escassos metros na Rua Scarlati e na mesma artéria, a Rua Dr. José Alberto Ferraz, estão equipamentos disponíveis, pelo que não existe qualquer justificação para a falta de civismo de quem abandona ali os seus resíduos”, sublinha o responsável dos SMAS de Sintra, anunciando que nos próximos dias e durante algumas semanas, serão intensificadas as ações de fiscalização no local.

“Não podemos pactuar com este tipo de comportamento, por mero comodismo de andar escassos metros até ao contentor mais próximo, numa situação que coloca em risco a saúde pública e a qualidade ambiental de uma zona frequentada por milhares de pessoas, dada a proximidade da estação ferroviária de Queluz-Belas”, concluiu Carlos Vieira.

Artigo anteriorCondicionamento de tráfego Nó de Ranholas da A16 na ligação ao IC19
Próximo artigoGreen Key 2024 distingue 13 Unidades Turísticas de Sintra