A Câmara Municipal de Sintra aprovou, em reunião de executivo, a atribuição de novas comparticipações para obras de conservação em edifícios que se candidataram ao ReaVIVA Sintra, num investimento de cerca de 92 mil e 500 euros.


Para Basílio Horta, presidente da autarquia, “este programa vem valorizar as intervenções levadas a cabo pelos cidadãos que contribuem para regenerar os lugares onde vivem”.


Os imóveis alvo de intervenção ao abrigo deste programa têm mais de 30 anos e as comparticipações financeiras atribuídas serão utilizadas em obras de conservação das partes comuns dos edifícios.


Foram alvo de aprovação as comparticipações no valor de 30 mil euros, para obras num edifício inserido na Área de Reabilitação Urbana(ARU) de Agualva-Cacém, constituído por 43 frações em regime de propriedade horizontal, das quais 27 afetas a habitação, quatro afetas a comércio e doze afetas a garagem.


Também na Área de Reabilitação Urbana de Algueirão-Mem Martins/Rio de Mouro foram alvo de aprovação da comparticipação diversos edifícios um deles, comparticipado em cerca de 6 mil e 138 euros, composto por dez frações habitacionais e um segundo edifício com seis frações afetas a habitação que recebe uma comparticipação de 8 mil 730 euros, outro dos imóveis com 24 frações, sendo 18 de habitação, dois de comércio e quatro garagens, que será comparticipado em 24 mil 400 euros. Ainda nesta ARU um quarto prédio, constituído por dez frações autónomas destinadas a habitação e duas garagens, será comparticipado com 5 mil e 66 euros.

Na Área de Reabilitação Urbana de Massamá e Monte Abrão, um prédio, composto por 22 frações autónomas, das quais 20 afetas a habitação e duas afetas a comércio conta com uma comparticipação de mais de 8 mil euros e um outro edifício, com 35 frações em regime de propriedade horizontal dos quais 22 de habitação e 13 garagens, com uma comparticipação superior a 10 mil euros.


Adicionalmente, foi também aprovado o reforço anual ao programa ReaVIVA Sintra em 50 mil euros.

O ReaVIVA Sintra é um programa municipal que concede apoio financeiro a fundo perdido, até 30 mil euros, destinado a obras de conservação, alteração, manutenção e restauro a realizar nas partes comuns e exteriores de prédios urbanos integrados em ARU. Este apoio assume a forma de subsídio não reembolsável, concedido pela autarquia, e tem um caráter de complementaridade ao autofinanciamento. As obras realizadas nos imóveis ao abrigo do programa, deverão reabilitar a imagem arquitetónica do edificado, recuperar elementos arquitetónicos em vez de os substituir por outros, integrar materiais com composição igual ou semelhante aos originários e valorizar intervenções que se confirmem de relevo.

Mais informações sobre este programa AQUI.

Artigo anteriorMercado de Natal em Agualva
Próximo artigoMercadona participa na campanha do Banco Alimentar Contra a Fome