Academia de Jiujitsu Ocupacional pela inclusão das crianças

A Academia de Jiujitsu Ocupacional de Paula Figueiredo foi inaugurada oficialmente no Cacém, no dia 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, contando com a presença de muitos amigos e convidados que manifestam o seu agrado, mas também “reconhecimento e gratidão” e esta professora e treinadora de desporto pelo IPDJ, com especialização em ensino infanto-juvenil e necessidades educativas especiais.

“Tirei da gaveta um sonho e no desejo de servir a comunidade e as famílias, numa área tão carente, – as necessidades educativas especiais -, lancei esta Academia dedicada a servir este público-alvo”, explicou Paula Figueiredo, responsável pelo espaço, ao Jornal Correio de Sintra e ao Sintra Notícias, que juntou no Ginásio Monstergym, na Praceta Armada das Índias, n.º 6, no Cacém, todas as famílias e crianças, numa manhã de jogos e partilhas, em especial para os mais jovens, “no intuito de estreitar laços entre as famílias e reforço de valores”.

O projeto inovador, tem como propósito, “apoiar famílias na integração sustentada das suas crianças e jovens com necessidades educativas especiais, por via desta arte marcial, numa vida em comunidade”, explica Paula Figueiredo, que pretende desta forma “inspirar os alunos, através da prática do Jiujitsu a uma melhor qualidade de vida física, mental e emocional, num ambiente familiar e acolhedor, visando a integração e inclusão sustentada na vida comunitária, e futuras rotinas de e em grupo”.

Segundo a responsável pelo projeto, “o Jiujitsu é um desporto muito completo, e acreditamos ser para todos em inclusão”, uma ferramenta que Paula Figueiredo considera ser “muito útil para o desenvolvimento de crianças com transtornos como o PEA (Perturbação do Espectro Autista) ou TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade), devido ao seu potencial lúdico e psicomotor”.

“Somos uma equipa ao serviço das famílias, com amor e positividade” sublinha a técnica que há cerca de 11 anos descobriu os benefícios desta modalidade desportiva, como “ferramenta educativa e integrativa”, o que a levou a “tirar da gaveta um sonho” que se concretiza com a criação da Academia de Jiujitsu Ocupacional, prova quedos sonhos, nascem vitórias.

A Academia disponibiliza aulas de Jiujitsu Ocupacional aos sábados, em vários horários e aulas de Jiujitsu Infanto-Juvenil, durante toda a semana, em diferentes horários, nas instalações do Cacém e no Ginásio USC Mira-Sintra.

Artigo anteriorReserva Arqueológica de São Marcos apresenta moeda romana
Próximo artigo“Uma caixinha de segredos que nós vamos abrir”