Início DESTAQUE “Voluntariado, o poder de criar sorrisos”

“Voluntariado, o poder de criar sorrisos”

Grupo de Sintra da “Dress a Girl Around the Word”

2326

Dar dignidade e proteção às crianças de países abaixo do limiar da pobreza é o objetivo do grupo de Sintra da “Dress a Girl Around the World Portugal” que precisa de ajuda para confecionar calções, cuecas e quimonos para aumentar a autoestima de crianças desfavorecidas.

A Dress a Girl Around the World Portugal, é uma Organização Não Governamental (ONG), fundada em 2009 nos Estados Unidos, com a missão de fazer vestidos para doar a meninas de países carenciados,  iniciou as suas atividades em 2016 pela mão de Vanessa Campos.

Dois anos depois a Dress a Girl Portugal (DAG-P) tornou-se numa associação sem fins lucrativos que promove encontros de costura inter-geracionais, combatendo o isolamento social da população sénior, promovendo a melhoria da autoestima, a sociabilidade, a partilha de saberes, a melhoria da dinâmica familiar e a promoção da saúde de suas voluntárias, que se dividem por cerca de 60 ateliers associados envolvendo mais de 2500 voluntários.


No concelho de Sintra, o grupo criado em fevereiro de 2023, por Ângela Gonçalves é constituído por elementos de várias faixas etárias, que varia entre os 20 e os mais de 80 anos.

“O nosso grupo de Sintra, já fez mais de 700 vestidos e mais de 100 calções, todos com roupa interior incluída”, refere com algum orgulho, Cassandra Lacueva ao Correio de Sintra, acrescentando que “fomos o primeiro grupo em Portugal a confecionar cuecas e boxers, elementos que até aqui estavam sujeitos a doações”, uma inovação que se estendeu a todos os outros grupos do país, “ensinado por duas voluntárias nossas”.

“Dar dignidade e proteção às meninas de países abaixo do limiar da pobreza é o objetivo”, — Cassandra Lacueva

“Dar dignidade e proteção às meninas de países abaixo do limiar da pobreza é o objetivo”, explica a vice-Coordenadora que integra o Grupo de Sintra que promove encontros de costura solidária, quinzenalmente, num espaço cedido pela “Tecidos & Companhia” na reta da Granja, em Sintra.

“Levamos tecidos, linhas, agulhas e muita vontade de fazer a diferença”, refere Cassandra Lacueva, acrescentando que “é com esta matéria-prima, e muito amor, que são produzidas peças de roupa para crianças maioritariamente africanas”.

“Voluntariado, o poder de criar sorrisos”

Cassandra Lacueva

“O Grupo de Sintra ainda é recente e tem muitas dificuldades ao nível das doações de matéria-prima. Se tivéssemos mais material para trabalhar, os nossos encontros podiam ser mais regulares”, admite Cassandra, que apela à ajuda de empresas da região e do país, para a doação de materiais, como tecidos de algodão (de preferência com motivos infantis): malhas novas de algodão; cones e carrinhos de linhas; rendas gregas, bordado inglês, fitas; elástico branco 0,6 e 0,8 mm; botões coloridos; linhas de crochet e máquina de costura. “É tudo o que necessitamos, para fazer crianças felizes. ­­Para muitas, esta é a única possibilidade que têm para ter uma peça de roupa, nova e bonita”, refere com alguma emoção.


Pensativa, “voluntariado, o poder de criar sorrisos” é uma máxima que Cassandra Lacueva que apela à ajuda de todos para levar por diante o projeto, que “depende do trabalho voluntário e de doações, desde a confecção dos vestidos e calções à matéria-prima utilizada”, destaca a voluntária que não perdeu a esperança de “fazer uma entrega. Pode ser que um dia consiga!”, remata.

Artigo anteriorCarris ajusta e reforça horários no concelho de Sintra
Próximo artigoTriunfo lança um novo conceito de escolhas e serviços