Visita termina com prova de doce típico da região

Neste início de ano, há mais um motivo para regressar ao milenar Palácio Nacional de Sintra. A nova visita guiada “O outro lado do Palácio de Sintra: das vivências reais aos espaços de serviço”, com sessões marcadas para 4 de fevereiro e 3 de março (dois domingos), sempre às 15h00, vai muito além do percurso de visita regular e desvenda o que se esconde para lá dos espaços onde todos os dias circulam centenas de visitantes.

Partindo da história e das vivências de quem habitou o Paço de Sintra ao longo dos séculos, os participantes são convidados a descobrir dois lados distintos do Palácio, mas interdependentes: o lado visível, de quem exercia o poder, e o lado invisível, dos que, nos bastidores, garantiam o funcionamento diário do Palácio e serviam a Família Real e a Corte. A viagem faz-se entre as grandes salas sociais, hoje integradas no circuito expositivo do monumento, e os espaços escondidos para lá dessas paredes, que guardam as memórias dos ali habitaram e trabalharam para garantir que nada faltava na sumptuosa vida palaciana.

Na cozinha, marcada pelas enormes chaminés, revelam-se os pormenores da preparação dos grandes banquetes, nos quais eram servidas as melhores iguarias do reino. Evocando a importância da gastronomia na história do Paço de Sintra, a visita termina com um apontamento doce típico da região.

A visita guiada “O outro lado do Palácio de Sintra: das vivências reais aos espaços de serviço” tem a duração aproximada de duas horas. Os bilhetes custam 10€ e vendem-se exclusivamente no site da Parques de Sintra.

Ao longo dos últimos anos, a Parques de Sintra tem investido na qualidade da experiência de visita e na oferta de uma programação diversificada, promovendo numerosas iniciativas dedicadas à música, ao cinema, ao teatro e à arte equestre, com múltiplas propostas que tiram partido da memória histórica dos monumentos e dos ambientes diferentes que o património natural proporciona no decorrer das estações, convidando à sua fruição ao longo de todo o ano. Pretende-se que quem visita o património sob gestão da empresa encontre sempre novos motivos de interesse, ou seja, espaços vivos, em permanente atualização e reinvenção, onde existe sempre algo novo para fazer e para conhecer. Um património de todos, para todos.

Artigo anteriorSMAS de Sintra assinalam Dia Mundial da Educação Ambiental (26 de janeiro)
Próximo artigoFuturo Museu da Água e Resíduos (Sintra) apresenta Exposição “SOS Planeta”